Sobrecarga: trabalhadores da nutrição do Cristo denunciam descaso da Coordenação e reivindicam contratação de pessoal e horas extras

Entidades organizam manifesto para alertar sobre os prejuízos da terceirização da Saúde em Porto Alegre
15/07/2022
Horas extras são liberadas para a Nutrição do HCR; entidades cobram celeridade na contratação de pessoal
19/07/2022

Reunião aconteceu no Hospital Cristo Redentor.

Nesta segunda-feira (18), a ASERGHC e o Sindisaúde-RS estiveram mais uma vez no setor de nutrição do Cristo Redentor para apoiar as reivindicações dos trabalhadores, que estão com sobrecarga de trabalho. A área de nutrição está com déficit de funcionários, após diversas aposentadorias e realização do PDV.

No dia 12 de julho, os trabalhadores já haviam acionado a associação e o sindicato, pois não tinham como atender plenamente as demandas do serviço: havia um atendente de nutrição para servir 47 pacientes. Na ocasião, apenas a Gerência esteve presente na reunião com as entidades, sem a participação da Coordenação de nutrição. No mesmo dia, a ASERGHC e uma comissão de trabalhadoras estiveram na Diretoria do GHC para apresentar a situação ao diretor Cláudio Oliveira, que se comprometeu a atender às reivindicações dos trabalhadores, como liberação de horas extras e contratação de pessoal.

Chama a atenção que até a manhã desta segunda-feira o problema persistia. Além disso, a Coordenação do serviço de nutrição do HCR não havia realizado nenhuma reunião com os trabalhadores para construir a rotina de trabalho durante o período que ocorre déficit de pessoal. Novamente, também não houve participação da Coordenação na reunião de hoje com as entidades.

O retorno da Gerência do Cristo é de que ainda hoje as horas extras seriam liberadas. Nesta terça (19), a ASERGHC e o Sindisaúde-RS estarão no hospital para averiguar se as demandas serão atendidas.

“Sabemos que as horas extras não irão resolver o problema, que as contratações de novos funcionários precisam ser realizadas de forma urgente, pois os trabalhadores do setor estão adoecendo cada vez mais por sobrecarga de trabalho. Há colegas com 80 horas positivas de banco, sem perspectiva de poder folgar. A ASERGHC permanecerá atenta e ao lado dos trabalhadores nesta reivindicação”, disse a Vice-presidenta da Aserghc, Graziela Palma.

gdpr-image
Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Guardamos estatísticas de visitas para melhorar sua experiência de navegação.