Solidariedade de classe: campanha da ASERGHC arrecada alimentos e divulga crise social do país

Campanha Salarial 2020: assembleia aprova reajuste e garante a manutenção de direitos da Convenção Coletiva do Sindisaúde-RS
02/06/2021
Associado(a)s já podem retirar o brinde do mês de Junho nas secretarias
09/06/2021

Desde o dia 12 de abril, os trabalhadores do GHC têm demonstrado a sua solidariedade de classe e participado da campanha de arrecadação de alimentos da ASERGHC, além de estarem na linha de frente no combate à Covid-19. As cestas com as doações estão sendo doadas para instituições e comunidades periféricas.

Cumprindo seu papel social em defesa dos trabalhadores, a campanha também tomou as redes sociais da associação com a divulgação de dados e o contexto em que o Brasil se encontra, com o país de volta ao Mapa da Fome (confira abaixo).

Você ainda pode contribuir com a campanha doando 1kg de alimento não perecível em uma das nossas secretarias.

Além do impacto da pandemia, a inflação alta, o desemprego e a ausência do auxílio emergencial agravaram a situação de insegurança alimentar dos brasileiros.

O Brasil deixou o chamado Mapa da Fome em 2014 com o alcance do programa Bolsa Família. Um estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) baseado em dados de 2001 a 2017 mostrou que, no decorrer de 15 anos, o programa reduziu a pobreza em 15% e a extrema pobreza em 25%. No entanto, o país deve voltar a figurar no Mapa da Fome no balanço referente a 2020.

De acordo com Daniel Balaban, representante no Brasil do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WFP) e Diretor do Centro de Excelência contra a Fome, a situação brasileira é muito preocupante. Ele projeta que o Brasil esteja próximo dos 9,5% de sua população com subalimentação.

A maioria das pessoas que receberam auxílio em 2020 utilizaram o dinheiro para alimentação. Com os valores insuficientes deste ano e o agravamento da pandemia, a fome voltou a assombrar as famílias brasileiras.

Login Convênio