PALMAS NÃO BASTAM! Diretoria do GHC aplica Reforma da Previdência de Bolsonaro de forma covarde

Associado(a)s já podem retirar o brinde do mês de Junho nas secretarias
09/06/2021
Nota da ASERGHC contra manifestações homofóbicas durante a entrega do brinde do mês de Junho
10/06/2021

Trabalhadores do GHC e diretores da ASERGHC em protesto contra a reforma da previdência em 2019, no centro de Porto Alegre. Foto: Comunicação ASERGHC

O GHC iniciou nesta segunda-feira, 07 de junho, o desligamento de trabalhadores que se aposentaram após a reforma da previdência, de forma covarde, realizando a extinção do contrato de trabalho sem qualquer forma de acolhimento e respeito ao tempo de casa dedicado pelos profissionais.  A atitude é baseada no parágrafo 14 do artigo 37 da Constituição Federal, que foi alterado após a reforma previdenciária em 2019.

Essa forma de desligamento é a mais cruel para os trabalhadores, porque dispensa os profissionais sem aviso prévio e sem direito à multa rescisória. Mesmo durante o período de pandemia que estamos vivendo, onde se mostrou mundialmente o quanto é essencial o serviço dos trabalhadores da saúde, a Diretoria do GHC ignorou a realidade e começou o processo de desligamento de trabalhadores de diversas áreas da assistência direta ou indireta.

A determinação da Justiça que não permite o desligamento dos aposentados especiais e de trabalhadores com 75 anos ou mais durante a pandemia de Covid-19 ainda está em vigor. No entanto, teremos que enfrentar mais esta brutalidade da Diretoria que comanda um dos maiores complexos hospitalares do nosso país, e segue a política de gestão do atual governo.

A reforma da previdência, aprovada em 2019 e a lei nº 173 de 2020, editada por Bolsonaro, que impede investimentos em áreas sociais e congela salários de servidores, são medidas que prejudicam diretamente os trabalhadores, repassando para o povo a conta de uma crise econômica e sanitária.

A ASERGHC orienta que os trabalhadores atingidos por esta medida, extinção cruel do contrato de trabalho, busquem a auxílio jurídico da associação a fim de orientações e medidas judiciais cabíveis.

Se quisermos a garantia de direitos, e também repudiamos o desligamento compulsório dos trabalhadores aposentados, só temos uma saída: nos somarmos à luta coletiva e exigirmos a revogação imediata de todas as contrarreformas e medidas de ajuste fiscal.

No próximo dia 19 de junho haverá um grande movimento nacional “Fora Bolsonaro”, que reivindica a garantia de direitos básicos, a saída deste governo e a vacinação em massa. Estaremos presentes, enquanto coletivo da ASERGHC nas manifestações de rua, mantendo o caráter histórico da nossa entidade que é, e sempre foi, lutar pelos direitos da população. Convocamos a todas e todos trabalhadores para comporem juntos este grande ato, dia 19 de junho a partir das 15h no Largo Glênio Peres.

Login Convênio